Um jeito caseiro de imprimir em grandes formatos.

Hoje eu quero compartilhar uma dica bem bacana com vocês. Muitas vezes precisamos imprimir algumas coisas em  grandes formatos, e encontrar quem faça isso é difícil ou até mesmo mais $$$ do que podemos gastar. Muita gente conhece a impressão de cartazes que algumas impressoras fazem, porém nem todas as máquinas tem essa função, como é o caso da minha impressora atual, e o sistema de impressão de folhas múltiplas, 3×3, 4×4  não atende as nossas necessidades.

Eu “descobri” essa maneira imprimir em grandes formatos ao mesmo tempo em que descobri que minha impressora não fazia e esse tipo de impressão e que eu precisava muito, e pra minha surpresa (por isso é bom sair de nossa zona de conforto) esse método, na minha opinião, é melhor e mais simples,  pois você não fica dependente da impressora e do sistema de folhas múltiplas, podendo imprimir em formatos diferenciados como 1×0,50 m, 2×2 m, etc, e dai dá pra fazer muitaa coisa legal.

Mas vamos lá, como eu disse no começo do post, é uma dica bemmm caseira,  e a solução está no nosso bom e velho  Pacote Office, mais precisamente no Publicher – o editor da Microsoft que serio o Corel ou Illustrator amador e bem mais limitado (rsrs) –  mas enfim ele faz o que precisamos e é isso que interessa. Lembrando que a minha versão é a 2010, então o passo a passo pode ter alguma diferença se a sua versão for outra.

Resultado de imagem para publisher

Vamos ao passo a passo.

Abra o programa e escolha um formato (sempre escolho o A4).

Capturar.PNG

Depois vá na aba “Design de Página” , clique em tamanho e e depois em configurar página. Na caixa que irá abrir coloque na altura e largura o tamanho da pagina que você precisa, clique em OK e pronto.

Capturar2.PNG

Agora é só diagramar as informações, e aqui vai mais uma dica, faça sua arte no programa que está acostumado, exporte em JPEG (de alta qualidade, claro) e cole em sua página, dai é  só adaptar  tamanho (não esqueça da proporção) e colocar pra imprimir.

Capturar3.PNG

Quando você coloca pra imprimir, o programa já faz toda a divisão das páginas, no meu caso, um formato de 2x1m, ele vai usar 40 folhas pra imprimir. Ainda é possível fazer mais ajustes, caso queira imprimir num formato A3, por exemplo.

Simples não é?

Vale lembrar que eu nunca mecho na sobreposição da imagem e imprimo com borda automática, pois uso a borda  automática pra unir as folhas, dai como a impressora imprimi com borda nos quatro cantos, você vai precisar cortar uma lateral e e a parte de cima ou de baixo, pois se não a borda branca ficará sobreposta a imagem e não vai dar liga. Mas, se você referir  é possível, nas opções de layout, da aba imprimir, colocar uma sobreposição de imagem (você é que defini o espaço da sobreposição) e, nas configurações de impressões avançadas escolher imprimir sem borda, dai não é preciso ficar cortando as bordas brancas.Enfim, é sempre bom fazer um teste antes com uma imagem menir pra ver como seu computador e impressora respondem.

Alô mundo!

Saudades de escrever por aqui!

Passando pra deixar uma imagem inspiradora. Flores+papel+casamentos, impossível não ser inspirador.

É uma empresa (não sei a nacionalidade, mas é estrangeira) especializada em fazer backdrops de flores de papel . O nome é Prop Art, eu não encontrei muitas informações, só o Facebook deles, que é esse aqui.

Lindo né?  

AquiTutorial Flores de Papel de Seda:

aqui

Paper flowers:

e aqui, tem várias ideias pra fazer flores de papel.

Giant rose:

Show né? Uma ótima inspiração pras festhinhas 🙂

Papel que vira…anjo!

Uma das coisas que mais me encanta no papel, é a facilidade com que uma simples folha em branco pode se transformar. Uma tesoura, cola, algumas dobraduras e voila, cade a folha que estava aqui? Como num passe de mágicas se transformou no que sua imaginação quiser ou permitir.

Yule Angel Decoration

Via

Foi isso que eu pensei quando vi essa image,  em como foi simples transformar o papel em anjo, agora é soltar a imaginação pra usar ele como quiser!

bjoo

Como remover fita dupla face

Dia desses  umas pastas, na verdade a bolsa da pasta, saíram erradas da produção. Resultado, precisávamos dar um jeito de corrigir o “troço” com o menor custo e em menor prazo possível. A solução encontrada foi mandar produzir apenas as bolsas e fazer toda mão de obra (remover bolsas antigas e colar novas) por aqui mesmo. Mas eram 1.000 (sim, MIL) pastas que deveriam ser feitas uma a uma.

E posso dizer pra vocês que a danada da dupla face quando resolve grudar, gruda de verdade e pra tirar sai levando tudo junto. Com paciência, até conseguíamos retirar as bolsas de um jeito que quando colasse a outra por cima ficaria bom.  Demorava um pouquinho e machucava um pouco a mão, mas dava pra fazer. Dando uma googlada (já que as primeiras tinham ficado horríveis e eu me assustei kkkkkk) vi uns links ensinando remover a dita cuja de diversas superfícies e a maioria deles usava alguma fonte de calor, como todos ensinavam a usar o sol, o secador, o soprador, etc, e nenhuma falava de papel achei melhor deixar pra lá, afinal, papel+calor não é uma combinação muito perfeita. Até que eu vi um ferro (aquele de passar roupa) dando bobeira e resolvi tentar.

Gente sério, as pastas ficaram perfeitas nem dava pra dizer que um dia existiu ali uma bolsa. O processo é bem simples, basta esquentar bem onde tem cola e puxar, nesse caso a bolsa. O ponto certo é quando você puxa e ela descola com facilidade sem danificar o papel.

IMPORTANTE Pra quem vai tentar essa técnica, vão umas dicas:

*Cuidado para não queimar o papel e fazer aquelas marcas amareladas, cuidado também com o ferro sujo. Se preferir use um paninho bem fininho em cima;

*Como o papel será aquecido ele ficará mais mole (principalmente se tiver laminação) então cuidado para não marca-lo;

*No meu caso as bolsas eram sem acabamento, sem impressão e com um papel bem grosso, então se você for fazer essa técnica, teste antes;

*A parte que eu aproveitei foi a pasta, então eu esquentava e puxava a bolsa, que ficava com a fita grudada e não em tão condições de uso já que ficavam marcadas;

*Eu não testei as outras técnicas, mas como meu papel era grosso e eu precisava de um aquecimento considerável, acho que das outras formas ia demorar mais.

Acho que é isso, comentem aqui se vocês tiverem duvidas ou tentarem testar a técnica.

Bjus.

Cartões com bordas coloridas – Como fazer?

Oi gentee, o post sobre cartões com bordas coloridas, nosso primeiro post, foi o mais acessado até agora! Então como eu percebi que vocês gostaram do assunto, decidi fazer mais um, porém um pouco diferente, agora com maneiras de fazer as bordas coloridas. Eu amo o resultado dessas bordas, acho que dá um acabamento super diferente aos cartões, já que o combo verniz localizado+laminação fosca se tornou um pouco enjoativo e comum demais. É difícil encontrar alguma gráfica que faça isso (na verdade eu nunca vi!), acho que pra quantidades muito grandes essas técnicas sejam um pouco fora de mão, mas pra menores quantidades são super válidas. Nenhum desses PAP é meu, todos eles eu encontrei “andando” por ai, mas fica aqui minha promessa de testar as técnicas e trazer pra vocês (só não sei quando hahahaha, por que como eu disse no post anterior a vida anda corriiida) como era minha ideia pra esse post. Psiu, é só clicar nas imagens que elas levam ao post original, ok?! Bright Edge Painted Business Card   Essa primeira técnica é da Izabela Domo, do site Design Inspiration, é super simples, talvez a mais simples delas, mas como vocês perceberam os cartões são mais grossos que os que normalmente a gente faz por aqui, e fazer um por um da um trabalho danado (preguiça feelings). DIY Gold Edge Business Cards | Sarah Hearts   Essa segunda técnica é mais pratica e dá pra fazer maiores quantidades com mais rapidez. A imagem já tá bem explicativa, você amarra blocos de cartão com aquelas borrachinhas de dinheiro e passa tinta spray, os blocos tem que estar bem apertados, se não tinta vaza a mancha os cartões. A técnica é da Sarah lá do blog Sarah Hearts. Esse principio de técnica é talvez o mais comum variando a maneira de prender os blocos e a tinta utilizada. Dá pra tetar usar a caneta desse jeito, ou até um giz de cera. Será que rola? Aqui do site Frou Studio prendendo com uma braçadeira e pintando com uma espécie de tinta/pasta dourada. Handmade Blue Edged Design Nesse, do Card Observercom braçadeiras e tinta spray. Hi Sugarplum | DIY Gilded Business Cards Essa caneta dourada é muito comum nos tutoriais americanos, mas eu nunca vi no Brasil, alguém conhece? O PAP é do blog Hi Sugar Plum DIY Edge Painted Business Cards E esse também do site Design Inspiration, mas da Stephanie Hayward, bem colorido segurando os cartões com um peso. Mesmo assim, se o peso não for bem pesado tem que fazer uma pressãozinha com as mãos pra tinta não invadir os cartões, em alguns tutoriais eu vi com uma pedra pequena, mas não sei se da muito certo. Acho que é isso, agora temos bastante ideias pra pintar os cartões, quem se assisca? Bjus, bom finde pra vocês.

Extreme Makeover – my chair

Aloww meu povo, tanto tempo sem passar por aqui né? É a correria, pois não é que já estamos no meio do ano (what??), e a listinha de “coisas a fazer” lá do começo não chegou nem na metade (só acho que alguém lá de cima turbinou as pilhas do relógio). Então vamos ajustar a velocidade corredor de 100 metros rasos e se jogar nas “pendências” antes que o Papai Noel diga oiii.

Untitled-1

Bom voltando ao assunto do post, eis que surge uma folguinha, e entre ficar sem fazer nada assistindo a TV  e fazer alguma coisa e assistir a TV ao mesmo tempo, eu optei pela segunda alternativa, e a vítima da vez foi a cadeira do meu quarto. Há algum tempo ela tava lá, meio capenga, meio sem graça e muito detonada, me pedindo socorro. Mas só de pensar em ter que lixar, pintar, soltar o estofado, trocar o revestimento,e blá,blá,blá, já rolava aquela preguicinha básica. Ela não era prioridade na minha lista, na verdade acho que nem consta nela, mas está no meu quarto, e esse sim tá lá e fazia tempos que estava gritando SOCORRO.

Mas ai vem a pergunta: Não seria mais fácil, mais rápido e mais prático levar em algum lugar  que faz reforma de cadeiras, estofados e afins? Sim, eu diria que seria praticamente indolor, mas não teria a mesma graça e o orgulho de dizer “Foi eu que fiz”, e isso só quem tem uma alma craft vai entender, nénão? Então pega lixa, spray, grampeador de marceneiro  vontade e coragem e vem comigo. Eu não fiz fotos passo a passo, mas vai lá o processo é mais trabalhoso que difícil e explicando bem vai dar pra entender.

cadeira

Pra começo de conversa pegue a cadeira e solte o estofado. Essa fase é mole, isso se sua cadeira não tiver sido parafusada pelo Huck ou se você não tiver a minima habilidade com chaves de fenda, eu precisei da ajuda da minha mãe (não me julguem, kkk).

Depois lixe bem, pra retirar toda a parte de ferrugem, se tiver, e também de tinta descascando. No meu caso a cadeira estava com esses dois probleminhas e pra ajudar a tinta era preta e eu iria passar uma mais clara por cima, ah eu usei uma lixa pra ferro. Esse passo é o mais chatinho, por que dá uma poeira danada (quem tem renite fuja!) e também demanda um pouco de força e paciência. Agora é hora da pintura. Eu usei tinta spray vermelha, fui passando camadas finas,com uma distância de uns 20 cm, pra tinta não escorrer e criar aquelas gotinhas, atá cobrir da maneira que eu desejava. Uma coisa que percebi, quanto mais bem você lixar mais lisa e brilhante vai parecer a pintura, se ficar uns restinhos de tinta antiga ela vai ficar meio porosa #ficadica Ah, bem IMPORTANTE, faça isso em ambientes abertos e forre muito bem o chão a as paredes pra não sujar nada. Eu achei que desperdiçou muita tinta, por que as pernas da cadeira são estreitas e aquela nuvem de tinta acaba se dispersando.  Talvez seria interessante usar uma tinta de lata com pincel, eu nunca usei, mas segundo minha mãe ia fazer menos sujeira e desperdício.  #dicadaminhamãe

Aqui eu diria que sua cadeira está 50% pronta. Agora é só escolher um tecido legal e funcional e forrar os estofado que vai estar solto. Nessa hora tem uma coisa que vai fazer toda diferença: o acabamento. Uma dica é antes de tirar o  forro antigo dar uma olhada em como ele foi grampeado pra ter uma noção e conseguir grampear da melhor maneira possível, e também se ele tiver aquelas costuras que lembram um capitonê já vai conseguir fazer igual, que foi o meu caso. Depois de tudo feito e do acabamento pronto é hora de fixar o estofado novamente na estrutura e ser feliz.

P1020253

Bju procês bom finde ❤

Guirlanda de flores

Oi gurias, o post de hoje é bem curtinho, mas bem legal é um Diy de uma guirlanda de flores de papel lá do blog da Elinée. Na imagem abaixo é o resultado final, linda né? Olhando de longe fica até difícil ver que é papel, mas é simm!

O passo-a-passo, inclusive o template das flores, estão disponíveis no blog da Elinée, é um blog bem legal com bastante tutoriais e dicas pra gente aproveitar  e se inspirar.

DIY Paper Rose Wreath

Bju procês, bom restinho de semana!