Dica de impressão caseira: frente e verso com faca (molde).

Impressão frente e verso em casa é sempre um negócio complicado, fazer tudo ficar no seu devido lugar é um teste de habilidade e paciência. Quando se tem uma faca então, ai que o negócio complica de verdade.

Por isso quero compartilhar algumas dicas que deram certo comigo e podem ajudar vocês:

*Se possível faça um dos lados só com uma estampa, assim você pode imprimir um fundo na folha toda e do outro lado as informações com a faca.

*Se não for possível imprimir um dos lados só com um fundo, evite o máximo de informações, principalmente a próximo as bordas, considere que sempre haverá um deslocamento na hora da impressão, e que alguma informação pode ficar em alguma dobra.

*Deixe que o fundo ultrapasse um pouco as margens de corte, assim se houver alguma falha no corte não ficará uma parte em branco (isso é margem de sangria).

*Não imprima as marcas de corte e vinco nos dois lados.

*Evite o frente verso automático da impressora, geralmente ele cria uma margem grande no arquivo, principalmente em alguns leitores de PDF.

*Essa dica vai pra quem tem impressora com bandeja frontal: na hora de imprimir o verso coloque a folha na bandeja com a parte impressa pra cima e com o cabeçalho virado pra máquina (ele tem que entrar primeiro na impressora).

Essas foram algumas dicas que lembrei, se tiver mais alguma deixe nos comentários.

Valeuu

Hot Stamp: a modernidade também chegou por aqui!

Resultado de imagem para HOT STAMP

Oii, no post de hoje vamos conversar um pouco sobre o hot stamp e como novas tecnologias,  podem ajudar a baratear e agilizar o custo desse acabamento. Como é um assunto extenso e tem bastante coisas técnicas (diga-se de passagem, não sou uma especialistaaa, mas gosto de pesquisar e estudar sobre esse assunto) trouxe bastante vídeos e imagens da internet pra ilustrar sobre o que estamos conversando.

Eu gosto muito do hot stamp, acho um dos acabamentos gráficos mais bonitos, especialmente em materiais nobres como catálogos, convites, caixas, etc. Porém uma das coisas que mais me incomodam nesse acabamento é como ainda é (ou era) pouco modernizada sua produção.

O hot (para os íntimos) nada mais é que a transferência a quente de uma película metálica – na maioria das vezes – para um substrato, que pode ser papel, couro, papelão, ente outros. Essas processo  até pouco tempo, era feito exclusivamente através de um clichê metálico que aquecido é pressionado sobre o material a ser produzido, um processo semelhante a criação de Guttemberg.

Falando em Guttemberg alumas maquinas de impressão de hot usadas atualmente para impressão de livros contábeis e TCC são feitas através de tipos móveis montados em um componedor, exatamente como as antigas off set.

Resultado de imagem para maquina hot stamp

Esse é um modelos de máquina para aplicação de hot stamp que utiliza fontes móveis. 

Para a confecção de materiais personalizados, é necessária a gravação de um clichê específico, o que aumenta o custo, especialmente para a produção de pouca quantidade. Somado ao fato de que a aplicação, não raro é feita peça a peça, muitas vezes é um acabamento que se torna inviável, também para grandes quantidades, tanto na questão preço quanto na questão tempo.

Esse vídeo abaixo mostra bem detalhadamente como funciona o processo de aplicação de hot em máquinas podemos considerar bem modernas. Se você estiver com tempo vale a pena assistir.

 

Só é preciso levar em consideração que nem todas as gráficas possuem máquinas modernas, algumas trabalham com processos bem manuais.

 

Pois é, mas com a modernização e digitalização dos processos gráficos essa realidade tem mudado, a passos bem lentos, eu diria, mas já existem soluções são promissoras e se adequam bem há algumas necessidades de quem consome esse tipo de produto.

A primeira delas que conheci foi a laser, uma máquina semelhante a usada no processos de plastificação que aquece a película que será aplicada. Você  insere o material com a área a ser gravada impressa a laser e através da reação do tonner e do calor a película adere ao substrato. Um ponto negativo é a necessidade de você imprimir na área ser gravada o que pode dificultar o uso de outros acabamentos ou o encaixe de outras informações.

O vídeo mostra o funcionamento da máquina.

Uma segunda solução que conheci foi a máquina digital CNC. As máquinas CNC tem  revolucionado muitos mercados por aí (vide impressoras 3D), e nesse caso ela tem um bom resultado pra nós também. Ela é bem exata e consegue fazer acabamentos finos e precisos,  porém  sua velocidade (que é baixa, principalmente se a peça tiver muitos detalhes) atrapalha um pouco o quesito tempo, especialmente se a mesa de gravação for pequena, o que demanda a necessidade de gravar uma peça de cada vez.

Confesso que até ai eu já havia ficado bastante animada, principalmente para a gravação de peças únicas, por exemplo, mas pesquisando para esse post eu descobri mais uma solução que acredito ser a mais animadora de todas, principalmente para a produção de grandes quantidades: a hot stamp de cabeça térmica.

Esse sistema usa cabeças de impressão de impressoras térmicas (essas de cupom fiscal) adaptadas para películas  de hot stamp.

Um ponto negativo dessas impressoras o tamanho pequeno da área de impressão, mas que deve ser fácil de adaptar, visto que a tecnologia principal já foi inventada. Pra mim essa é a que tem um futuro mais promissor, já que é bastante ágil.

Por hoje é isso!

 

 

Um jeito caseiro de imprimir em grandes formatos.

Hoje eu quero compartilhar uma dica bem bacana com vocês. Muitas vezes precisamos imprimir algumas coisas em  grandes formatos, e encontrar quem faça isso é difícil ou até mesmo mais $$$ do que podemos gastar. Muita gente conhece a impressão de cartazes que algumas impressoras fazem, porém nem todas as máquinas tem essa função, como é o caso da minha impressora atual, e o sistema de impressão de folhas múltiplas, 3×3, 4×4  não atende as nossas necessidades.

Eu “descobri” essa maneira imprimir em grandes formatos ao mesmo tempo em que descobri que minha impressora não fazia e esse tipo de impressão e que eu precisava muito, e pra minha surpresa (por isso é bom sair de nossa zona de conforto) esse método, na minha opinião, é melhor e mais simples,  pois você não fica dependente da impressora e do sistema de folhas múltiplas, podendo imprimir em formatos diferenciados como 1×0,50 m, 2×2 m, etc, e dai dá pra fazer muitaa coisa legal.

Mas vamos lá, como eu disse no começo do post, é uma dica bemmm caseira,  e a solução está no nosso bom e velho  Pacote Office, mais precisamente no Publicher – o editor da Microsoft que serio o Corel ou Illustrator amador e bem mais limitado (rsrs) –  mas enfim ele faz o que precisamos e é isso que interessa. Lembrando que a minha versão é a 2010, então o passo a passo pode ter alguma diferença se a sua versão for outra.

Resultado de imagem para publisher

Vamos ao passo a passo.

Abra o programa e escolha um formato (sempre escolho o A4).

Capturar.PNG

Depois vá na aba “Design de Página” , clique em tamanho e e depois em configurar página. Na caixa que irá abrir coloque na altura e largura o tamanho da pagina que você precisa, clique em OK e pronto.

Capturar2.PNG

Agora é só diagramar as informações, e aqui vai mais uma dica, faça sua arte no programa que está acostumado, exporte em JPEG (de alta qualidade, claro) e cole em sua página, dai é  só adaptar  tamanho (não esqueça da proporção) e colocar pra imprimir.

Capturar3.PNG

Quando você coloca pra imprimir, o programa já faz toda a divisão das páginas, no meu caso, um formato de 2x1m, ele vai usar 40 folhas pra imprimir. Ainda é possível fazer mais ajustes, caso queira imprimir num formato A3, por exemplo.

Simples não é?

Vale lembrar que eu nunca mecho na sobreposição da imagem e imprimo com borda automática, pois uso a borda  automática pra unir as folhas, dai como a impressora imprimi com borda nos quatro cantos, você vai precisar cortar uma lateral e e a parte de cima ou de baixo, pois se não a borda branca ficará sobreposta a imagem e não vai dar liga. Mas, se você referir  é possível, nas opções de layout, da aba imprimir, colocar uma sobreposição de imagem (você é que defini o espaço da sobreposição) e, nas configurações de impressões avançadas escolher imprimir sem borda, dai não é preciso ficar cortando as bordas brancas.Enfim, é sempre bom fazer um teste antes com uma imagem menir pra ver como seu computador e impressora respondem.

Papel em grandes formatos.

Foto: VSP papeis

Como falei nesse post aqui, nos últimos tempos a oferta de papeis especiais tem aumentado muito, o que facilita a nossa vida na hora de criar projetos especiais. Mas as vezes, o tamanho do papel que encontramos nas lojas (geralmente o A4 ou A3) não suporta o projeto que temos em mente e dai é um “Deus nos acuda”. É um tal de emenda aqui, emenda lá, enfeita pra esconder a emenda, flores, fitas, pérolas, etc… Tudo pra esconder a emenda/defeito.

Talvez muita gente não saiba, mas o formato do papel não se limita apenas ao tamanho A4 ou A3, na verdade, esses formatos chamados de cut size, ou literalmente tamanho cortado, nada mais é do que a folha de papel cortada a partir do tamanho em que ela foi produzida. Os papeis cut size são os formatos mais comerciais e comuns, mas existem outros formatos de papel e felizmente maiores \0/\0/

Por serem muito usados em gráficas ou por quem trabalha profissionalmente com  papel, é difícil  encontra-los em qualquer canto por ai, dai as lojas especializadas são a salvação, mas elas também não são facilmente encontradas, principalmente pra quem mora longe dos grandes centros, por isso decidi compartilhar algumas lojas que eu encontrei na internet que vendem papeis lindos e são acessíveis para comprar em lojas virtuais, email ou até pelo mesmo telefone.

GM2 papéis especiais


Papel.com (para formatos gráficos é preciso fazer pedido de orçamento).

Operação Papel To Go

Inventário papeis

Enfim essas foram algumas das lojas que eu encontrei, que são acessíveis para comprar em menor quantidade e a distância e facilitar um pouco a vida de quem não tem acesso a grandes lojas ou que está começando nesse meio. Espero ter ajudado. Fuiii

 

 

 

 

 

 

 

 

Cartão com borda colorida:)

sarah_buervenich_identity_02Oii, os cartões com borda colorida fazem bastante sucesso aqui no blog, e como inspiração nunca é demais, e o Pinterest é um mundo quando o assunto é inspirar resolvi compartilhar com vocês essa papelaria que encontrei por lá.

É projeto lindo, vibrante e moderno. E feito com letterpress como a gente já mostrou aqui.

O projeto você encontra lá no site Underconsideration e no Pinterest eu encontrei nesse album aqui.

Sarah Buervenich Identity

Por hoje é só, bjus.

Papel perolado ou metalizado

Oiii gente!!

Nos últimos tempos o papel perolado ganhou força, em especial pra quem curte o ramo de festas. Seja nos convites ou lembranças, os papeis perolados tem roubado a cena  em  seu seguimento. De olho nisso as empresas tem aumentado a diversidade desses papéis e facilitado o acesso a eles, tornando a vida dos apaixonados pelo combo papel+diy mais fácil. Pois, o que antes era possível ser encontrado apenas nas gráficas (expressas ou off set) hoje é facilmente encontrado em papelarias e casas de artesanato e scrapbook, de diversas marcas, formatos e tamanhos, inclusive envelopes prontos.P1020694.JPG

Bingoo, melhor pra nós, pois a maioria desses papeis pode ser impresso em impressoras jato de tinta (aliás, a quantidade de  materiais disponível para impressão em jato de tinta tem melhorado muitoo e será tema pra um próximo post). Porém é preciso ter cuidado com a escolha das cores, pois o metalizado do material altera a cor e a definição da impressão, principalmente em fotos.

Se você já enjoou dos tradicionais papeis vergê, linho, cotelê, etc, se prepare para uma avalanche de perolados e metalizados rsrs…pois eles estão tornando cada dia mais comum, vale então abusar da criatividade pra não cair na mesmice e usar a favor das nossas peças a nobreza desse papel.

P1020697.JPG

Fuii!

Universidade do Papel

A minha paixão pelo papel sempre me levou a pesquisar muito sobre o assunto, e sempre me interessei pelos cursos na área, principalmente os mais ligados a engenharia ou arquitetura de papel, e dia desses descobri um projeto que me deixou encantada: a Universidade do Papel.

Projetada e idealizada pelo artista Enrique Rodriguez, a Universidade do Papel não é uma universidade como as outras, mas sim um espaço dedicado ao papel e as criações a partir dele. O projeto foi inaugurado em Julho de 2015 e oferece oficinas e vivencias artísticas em arquitetura de papel. Curtiu? Bora ser um arquiteto do papel?

A Universidade do Papel está presente no Rio e em São Paulo, pra quem ficou interessado e quer mais informações o Facebook deles é esse Universidade do Papel.

Fuii…

Alô mundo!

Saudades de escrever por aqui!

Passando pra deixar uma imagem inspiradora. Flores+papel+casamentos, impossível não ser inspirador.

É uma empresa (não sei a nacionalidade, mas é estrangeira) especializada em fazer backdrops de flores de papel . O nome é Prop Art, eu não encontrei muitas informações, só o Facebook deles, que é esse aqui.

Lindo né?  

AquiTutorial Flores de Papel de Seda:

aqui

Paper flowers:

e aqui, tem várias ideias pra fazer flores de papel.

Giant rose:

Show né? Uma ótima inspiração pras festhinhas 🙂

Papel que vira…anjo!

Uma das coisas que mais me encanta no papel, é a facilidade com que uma simples folha em branco pode se transformar. Uma tesoura, cola, algumas dobraduras e voila, cade a folha que estava aqui? Como num passe de mágicas se transformou no que sua imaginação quiser ou permitir.

Yule Angel Decoration

Via

Foi isso que eu pensei quando vi essa image,  em como foi simples transformar o papel em anjo, agora é soltar a imaginação pra usar ele como quiser!

bjoo